Sábado 26/05/2018
Advocacia Dagoberto J.S.Lima - Newsletter
ANS define regras para remoção de pacientes de planos de saúde com cobertura hospitalar

A partir desta sexta-feira (04/04/2014), a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) define regras mais claras para a obrigatoriedade de cobertura para a remoção de beneficiários de planos de saúde com segmentação hospitalar que já tenham cumprido o período de carência. A medida entra em vigor hoje com a publicação da Resolução Normativa nº 347/2014 no Diário Oficial da União e beneficia mais de 40 milhões de consumidores de planos de assistência médica com cobertura hospitalar.

A regras estabelecidas abrangem tanto a transferência dos pacientes dentro da própria rede credenciada pelo seu plano de saúde ou para remoções de consumidores de planos de saúde que estão na rede pública e desejam ser atendidos na rede credenciada pelo seu plano de saúde.

Leia mais +
ANS assina acordo para facilitar remoção de usuários de planos de saúde durante a Copa

Brasília – A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) assinou nessa quinta-feira um termo de acordo com 32 das principais operadoras do país, para garantir atendimento de qualidade aos beneficiários durante os jogos da Copa do Mundo. Isso porque a maior parte do turismo da Copa do Mundo será interno, ou seja, ao viajar para acompanhar os jogos que escolheu assistir, o beneficiário pode estar longe de casa, dos médicos e dos hospitais que conhece quando precisar do atendimento.

Cada uma das operadoras terá que disponibilizar uma linha telefônica exclusiva para que o Samu ou os responsáveis pelo atendimento de emergência dentro dos estádios e nas imediações entre em contato e encaminhe corretamente o paciente para um hospital credenciado. Isso vale também para casos tratados como de emergência, em que o beneficiário for levado a um hospital público. Caso um torcedor necessite de atendimento hospitalar durante um evento da Copa, ele será atendido ou pelo serviço da Federação Internacional de Futebol (Fifa) ou pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Assim que for estabilizado, deverá ser removido para um estabelecimento conveniado. O telefone das operadoras ficará ativo entre os dias 12 de junho e 13 de julho.

Leia mais +
ANS cria comitê para incentivo a boas práticas entre operadoras e prestadores

Com o objetivo de estabelecer um canal de diálogo permanente entre operadoras e prestadores de serviços de saúde e, dessa forma, desenvolver mecanismos que induzam estes agentes a priorizar a qualidade dos serviços prestados aos consumidores, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) instituiu o Comitê de Incentivo às Boas Práticas entre Operadoras e Prestadores (COBOP).

As ações do COBOP incluem, prioritariamente, a inserção de indicadores essenciais no monitoramento das boas práticas, como a ampliação da assistência em rede credenciada qualificada e a adequação dos processos relacionados à cobrança e pagamento dos compromissos assumidos pela operadora com o prestador, entre outros.

Leia mais +
Brasil continua em último no ranking de retorno de tributos à população

Pelo quinto ano seguido, o Brasil ficou na última posição do ranking de retorno de tributos à população. Segundo estudo divulgado hoje (3) pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), o país é o que menos retorna serviços públicos de qualidade em relação a impostos, contribuições e taxas arrecadadas.

O levantamento comparou 30 países e verificou o bem-estar da população, medido pelo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), em relação à carga tributária – proporção dos tributos sobre o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país). O Brasil ficou em 30º, atrás de vizinhos como Uruguai (13º) e Argentina (24º).

Leia mais +
Produtos de Páscoa podem ter carga tributária superior a 50%, diz IBTP

Os tributos dos produtos relativos a Páscoa chegam a ter carga tributátia superior a 50%, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), divulgada nesta quarta-feira (2).

O bacalhau, por exemplo, um dos produtos mais tradicionais na Semana Santa, tem carga tributária de 43,78%. Já o vinho tem 54,73% de seu valor em impostos e a colomba pascal, 38,68%. O chocolate em barra e os bombons também têm tributos elevados. No entanto a carga é um pouco menor, de 38,60% e 37,61%, respectivamente.

Leia mais +
Copyright © Advocacia Dagoberto J. S. Limaunitri