Quinta-feira 16/08/2018
Advocacia Dagoberto J.S.Lima - Newsletter
AxisMed adota BI para gerir pacientes com doenças crônicas

A AxisMed, empresa responsável por identificar e gerenciar a carteira de pacientes com doenças crônicas de operadoras de planos de saúde e do mercado corporativo, adotou uma ferramenta de Business Intelligence para estruturar um projeto que mostrasse os resultados dos serviços contratados de forma mais simples. A ferramenta QlikView foi escolhida e implementada pela Inteligência de Negócios (IN), empresa especialista em BI.

Com clientes de grande porte na carteira, entre eles Unimed, Bradesco Saúde, SulAmérica e Whirlpool, a AxisMed realiza o monitoramento individual de 700 mil pacientes. Na plataforma única são apresentados relatórios e indicadores com dados de exames, hábitos alimentares, internações, altas, entre outras informações sobre os pacientes.

Leia mais +
Pacientes vão estar mais informados e exigentes em 2020

Como o Saúde Business 365 informou, a consultoria Deloitte traçou dez tendências para o setor de Saúde em 2020, presentes no estudo “Health Care and Life Sciences Predictions 2020 - A bold future?". Confira mais detalhes do 1° aspecto mencionado:“Pacientes informados e exigentes que cuidam de sua saúde”

Em 2010...os indivíduos estão mais bem informados sobre seu perfil genético, as doenças que têm ou podem ter. As expectativas são maiores em relação a melhores resultados de saúde para si mesmos e para os entes queridos. Eles abraçam práticas preventivas e dedicam tempo, energia e dinheiro para estarem saudáveis. Quando doentes, os pacientes demandam tratamentos específicos; e também estão dispostos, em parte, a pagar. Os pacientes são verdadeiros consumidores, entendem que têm opções e utilizam as informações e dados sobre si mesmos e sobre os prestadores de serviços para, dessa forma, alcançarem o melhor tratamento no tempo, lugar e custo adequados a eles.

Leia mais +
ANS define novas regras para a relação entre operadoras e prestadores de serviços

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou nesta sexta-feira (12/12) as novas regras para os contratos entre operadoras de planos de saúde e prestadores de serviços em todo o país. Os consumidores do setor também terão mais garantia sobre a rede contratada, já que as substituições de prestadores descredenciados serão obrigatórias e comunicadas previamente. A agência reguladora está publicando três resoluções e uma instrução normativa no Diário Oficial da União (DOU) que regulamentam e detalham como deverá ser seguida na prática a Lei 13.003, sancionada em 24 de junho deste ano pela presidenta da República, Dilma Rousseff. A nova lei entra em vigor no próximo dia 22 de dezembro.

A regulamentação da Lei 13.003, que reforça a obrigatoriedade de contratos por escrito e detalhados entre as operadoras e os prestadores, com as obrigações e responsabilidades específicas, foi debatida nos últimos seis meses no setor em uma audiência pública e em quatro câmaras técnicas promovidas pela ANS. Entidades representativas das operadoras, profissionais de saúde, além do Ministério Público, Ministério da Fazenda e outros órgãos do governo federal, além de órgãos de defesa do consumidor tiveram a oportunidade de participar ativamente com contribuições para a regulamentação.

Leia mais +
Cachaça, perfume e videogame estão entre campeões de impostos; veja lista

Que a carga tributária no Brasil é alta, a maioria da população sabe: segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), mais de 36% do total produzido no país é pago em impostos. Em alguns casos, no entanto, os impostos chegam a representar acima de 80% preço do produto.

Levantamento do IBPT, feito a pedido do G1, lista os produtos mais tributados no país e o peso de cada um dos impostos, taxas e contribuições. O ranking leva em consideração mais de 500 itens monitorados pelo instituto.

Leia mais +
Governo estuda aumentar tributos sobre produtos importados

O custo de importação de eletrônicos pode sofrer uma alta no próximo ano, informou o jornal Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (01). O aumento seria resultado de um reajuste na alíquota de PIS e Cofins sobre produtos importados proposta pela nova equipe econômica do governo de Dilma Rousseff.

A medida foi proposta como uma alternativa para tentar equilibrar as contas públicas do governo, uma vez que o aumento dos tributos pode resultar na arrecadação de mais de R$ 5 bilhões para os cofres da nação em 2015. A reorganização econômica tem sido um fator de grande discussão no governo da presidente, uma vez que, em setembro, foi registrado um déficit primário de R$ 25,5 bilhões.

Leia mais +
Copyright © Advocacia Dagoberto J. S. Limaunitri